30 de agosto de 2017

Exposição grátis apresenta heróis da DC nos traços de Ivan Reis



Esse texto foi originalmente postado no YadaYada! Acesse e, também, acompanhe o trabalho da Mell!

Sobre sentidos e significados, Saramago

Parte da psicologia, da linguística, semiótica e outras ciências se debruçam para estudar sentidos e significados.

Como toda boa ciência faz isso de maneira longa, exaustiva e muitas vezes perde para a simplicidade da boa literatura.

Eu já sofri disso com meu tema de pesquisa e Mia Couto (como pode ver aqui), e agora vamos com outro brilhante lusófono...

"Depois de o enfermeiro ter saído, o Sr. José ficou deitado ainda uns minutos, sem se mexer, a recuperar a serenidade e as forças. O diálogo fora difícil, com alçapões e portas falsas surgindo a casa passo, o mais pequeno deslize poderia tê-lo arrastado a uma confissão completa se não fosse estar o seu espírito atento aos múltiplos sentidos das palavras que cautelosamente ia pronunciando, sobretudo aquelas que parecem ter um sentido só, com elas é que é preciso mais cuidado. Ao contrário do que em geral se crê, sentido e significado nunca foram a mesma coisa, o significado fica-se logo por aí, é directo, literal, explícito, fechado em si mesmo, unívoco, por assim dizer, ao passo que o sentido não é capaz de permanecer quieto, fervilha de sentidos segundos, terceiros e quartos, de direcções irradiantes que se vão dividindo e subdividindo em ramos e ramilhos, até se perderem de vista, o sentido de cada palavra parece-se com uma estrela quando se põe a projectar marés vivas pelo espaço fora, ventos cósmicos, perturbações magnéticas, aflições".

(José Saramago, Todos os Nomes p.134-135)